[caption id="attachment_1213" align="alignnone" width="1279"]cartas-para-julieta-filme Amanda Seyfried em cena do filme "Cartas para Julieta"[/caption]

Definir um roteiro pela Itália não é das coisas mais fáceis do mundo: sempre sobram cidades para o tempo que você tiver disponível, não importa se são três dias ou um mês. Fato é que quando Veneza se tornou parada certa na minha viagem, quis porque quis encaixar Verona também. Vocês sabem, Romeu e Julieta. Ficava tão pertinho... Quem sabe um bate-volta?

Resolvi esticar um pouco mais a visita e pernoitar (já conto adiante por quê), mas hoje me arrependo... de não ter ficado mais tempo. Que graça de lugar! E que melhor "guia" pela cidade que Cartas para Julieta?

O filme estrelado por Amanda Seyfried mostra um breve panorama de algumas das principais atrações da cidade assim que Sophie e Victor (Gael García Bernal) chegam de viagem. Sobre o rio Ádige, está a Ponte Scaligero, que faz parte da fortaleza Castelvecchio. A entrada no pátio é gratuita, mas a galeria de arte do museu é paga (prepare-se para ver muitas Madonas, representações da Virgem Maria) e permite acesso a um trecho da muralha.

O "clipe" da cidade inclui ainda a Arena de Verona, que aparece só de relance, mas foi um dos passeios mais legais que fiz por lá. É possível visitá-la durante o dia, mas é à noite que a mágica acontece, pelo menos durante a temporada das óperas. Comprei o ingresso pela internet com antecedência, e o espetáculo da sexta-feira que estive por lá era Il Trovatore. Minha primeira ópera da vida, que emoção!

[caption id="attachment_1404" align="aligncenter" width="683"]opera-il-trovatore-arena-verona Ópera"Il Trovatore", na Arena de Verona[/caption]

Eu, mochileira, fui de arquibancada, zero glamour, e me senti à vontade na galera, mas nos setores mais caros, todo mundo leva a sério o negócio, roupa de gala e brilho. A música, a orquestra, os figurinos, aquele cenário grandioso a céu aberto... Valeu ter ido só por isso.

Só por isso? Mas nosso giro mal começou! Ainda seguindo os passos de Sophie, chegamos à Piazza delle Erbe, uma das principais praças da cidade, que de manhã é ocupada por barracas de lembrancinhas que fazem a alegria dos turistas e à noite fica agitada com os frequentadores dos bares e restaurantes do entorno.

É ali pertinho que fica a fictícia Pensione Verona, onde o casal se hospeda na cidade, mais precisamente no número 2 da Piazzetta Tirabosco Antonio. Nessa altura, as coisas já começam a desandar para os dois, já que Victor está mais preocupado em visitar vinícolas e fazer degustações que passar tempo com a noiva. E é aí que ela encontra o lugar que vai mudar sua vida: a Casa di Giulietta.

Na vida real, é tudo bem menos romântico do que parece: não há mulheres chorando no pátio, nem nenhuma carta de alguma Claire (Vanessa Redgrave) em busca de seu amor perdido há 50 anos. Mas não faltam inscrições e cadeados por todo o lugar, que é bem turistão e fica completamente lotado no verão. Da entrada, mal dá para ver a estrela principal, a estátua de bronze que representa a filha única dos Capuleto.

[caption id="attachment_1214" align="aligncenter" width="576"]Eu pagando mico, como todos os turistas na Casa di Giulietta, em Verona Eu pagando mico, como todos os turistas na Casa di Giulietta, em Verona[/caption]

Se você quiser tirar foto na sacadinha, precisa pagar entrada, mas o pátio é liberado. Só tem que ter um pouco de paciência para pagar mico igual à blogueira que vos fala. Disseram que é para dar sorte, então lá fui eu assediar a moça... Juro, a superstição é tanta que um dos souvenires vendidos na lojinha ao lado é um ímã do seio da Julieta!

Quando deixa o local, Sophie segue uma das mulheres que recolhem as cartas e as respondem encarnando a própria Julieta. Bom, não é tão perto quanto o filme faz parecer, mas Verona é uma cidade pequena. Nada que uma caminhada até a Piazzetta Pescheria não resolva. A fachada do prédio usada como entrada para a Trattoria Lettere a Giulietta (que não existe de verdade) fica entre um supermercado e um restaurante (esse é real!).

Enquanto editava este post descobri que havia visitado, sem querer, mais uma locação do filme. É em frente ao Palazzo Canossa que fica a caixa de correio onde as autoras das cartas enviam suas respostas. Como o prédio não estava listado nas minhas pesquisas, só o reconheci ao rever o filme e lamentei não ter feito uma foto melhor. Mas, olha, também é bom o sentimento de "conheço esse lugar...". Já posso dizer que sou local?

Quando Sophie finalmente conhece Claire e Charlie (Christopher Egan), o trio começa sua jornada Toscana adentro para encontrar Lorenzo (Franco Nero). Ainda volto à região para fazer uma viagem dessas de carro - mas de transporte público, como viajei, é bem fácil chegar a Siena. Optei por fazer o famoso passeio de um dia a partir de Florença, de ônibus, como a grande maioria dos visitantes faz. De uma próxima vez, durmo por lá para conhecer mais cidadezinhas ao redor.

[caption id="attachment_1408" align="aligncenter" width="4160"]Detalhe do piso da catedral de Siena: a loba amamentando Remo e Rômulo Detalhe do piso da catedral de Siena: a loba amamentando Remo e Rômulo[/caption]

Em Siena, a dupla passa por cenários já vistos em Quantum of Solace: perto do Arco di Sant'Agata, descendo a Via Giovanni Duprè, e na clássica Piazza del Campo, a principal praça da cidade. Outros dois pontos são bem fáceis de achar: a Piazza San Giovanni é parada quase obrigatória, já que fica bem próxima à catedral.

Na verdade, o lugar onde Sophie e Charlie tomam sorvete e ele elogia a escrita dela fica bem atrás do batistério, parte do impressionante complexo do Duomo, que inclui ainda a cripta e o museu (dá para eleger o que visitar ou comprar um passe, mais econômico).

Já a Piazza Tolomei, com acesso pela Via Banchi di Sopra, uma das mais movimentadas do centro histórico, é onde ficam a Igreja de São Cristóvão e a estátua de uma loba amamentando Remo e Rômulo. Diz a lenda que a cidade foi fundada pelos gêmeos Senio e Ascanio, filhos de Remo, que foram perseguidos pelo tio (fundador de Roma), após a morte do pai. Por isso existem outras imagens semelhantes em vários cantos de Siena.

Ficou faltando uma coisa ou outra neste tour? Sim, mas não tem jeito. A Itália sempre deixa um gostinho de quero mais...

[supsystic-gallery id='18']